Tolerâncias Geométricas

O programa de cursos para Especificação Dimensional e Geométrica de Produtos (GD&T) da Fundação CERTI visa a capacitar os participantes para a correta interpretação, especificação e utilização dos recursos disponíveis nas normas ISO e ASME para especificação geométrica de produtos. Os cursos são disponibilizados em módulos, com foco orientado aos objetivos dos participantes.

CURSOS OFERECIDOS

Objetivo: Possibilitar aos participantes o entendimento sobre a linguagem GD&T, com foco na interpretação e representação de tolerâncias geométricas em desenhos mecânicos, visando:

  • Desenhos mecânicos com tolerâncias e especificações geométricas viáveis e adequadas;
  • Planejamento de processos coerente com as especificações de projeto;
  • Controle da qualidade com capacidade real para aprovar e reprovar peças bem como para apoiar as
  • correções necessárias nos processos;
  • Redução de falhas nas fases de desenvolvimento de produtos e processos, com conseqüente economia
  • para as empresas;
  • Alcançar o foco principal do curso, representação e interpretação de recursos em GD&T

 

Nota: Os conteúdos abrangem as edições mais recentes das normas ISO GPS e ASME.


Público-alvo:

  • Projetistas e desenhistas
  • Analistas e desenvolvedores de processos de fabricação
  • Projetistas de calibradores e dispositivos de fixação e controle
  • Operadores e programadores de máquinas ferramenta
  • Metrologistas e inspetores da qualidade
  • Operadores e programadores de máquinas de medir por coordenadas
  • Analistas e Engenheiros da Qualidade atuantes na medição por coordenadas
  • Responsáveis técnicos pelas medições com máquinas de medir por coordenadas e afins


Conteúdo programático:

  • Introdução
    • A importância da linguagem GD&T no desenvolvimento de produtos e processos
    • Custos relacionados com falhas ou desentendimentos na linguagem GD&T
    • Benefícios resultantes da utilização da linguagem GD&T
  • Tolerâncias dimensionais e relação com as tolerâncias geométricas
    • Tipos de características dimensionais
    • Princípios fundamentais: Princípio da Independência e Princípio do Envelope
    • Associação com calibradores passa – não passa
    • Interpretação de tamanhos lineares pelas normas ISO GPS e ASME
  • Regras para representação dos elementos geométricos
    • Principais normas relacionadas à temática GD&T – normalização ISO GPS, ASME e NBR
    • Diferenças de representação entre as normas
    • Tolerâncias restritas
    • Representação de elementos integrais e derivados

 

Carga horária: 24h

Objetivo: Propiciar aos participantes a ampliação dos conhecimentos quanto aos recursos mais avançados de representação GD&T existentes nas normas ISO GPS e ASME, visando:

  • Propiciar aos participantes a perfeita compreensão das mais ricas especificações GD&T em desenhos
    mecânicos, minimizando as falhas comuns de interpretação, custos e perdas de qualidade decorrentes.
  • Alcançar o foco principal do curso, representação e interpretação de recursos avançados em GD&T

 

Nota: Os conteúdos abrangem as edições mais recentes das normas ISO GPS e ASME.

 

Público-alvo:

  • Projetistas e desenhistas
  • Analistas e desenvolvedores de processos de fabricação
  • Projetistas de calibradores e dispositivos de fixação
  • Operadores e programadores de máquinas ferramenta
  • Metrologistas e inspetores da qualidade
  • Operadores e programadores de máquinas de medir por coordenadas
  • Analistas e Engenheiros da Qualidade atuantes na medição por coordenadas
  • Responsáveis técnicos pelas medições com máquinas de medir por coordenadas e afins

 

Pré-requisitos:

  • Não há pré-requisitos, porém, espera-se que o participante tenha conhecimento do conteúdo do curso GD&T 1 – Interpretação e Representação de Tolerâncias Geométricas – Fundamental

 

Conteúdo programático:

  • Introdução
    • A representação de tolerâncias geométricas pelas normalizações ISO GPS e ASME
    • A importância do uso da linguagem GD&T
    • Novos conceitos e perspectivas para a temática GD&T
  • Conceitos fundamentais em GD&T – recapitulação do curso GD&T 1
  • Interpretação e representação GD&T em modelos CAD 3D
    • Recursos de representação específicos da norma ISO GPS
  • Conceitos e símbolos específicos de cada uma das normas ISO GPS e ASME
    • Zona Comum
    • Elemento comum
    • Zona de tolerância e referência projetadas
    • Elementos de roscas
    • Elemento de direção, plano de intersecção, plano de orientação e plano de coleção
    • Elemento médio
    • Símbolos “entre” Classes de invariância e Elementos de situação
    • Conceito de Características intrínsecas padrão
    • Representação de Elemento de contato
    • Representação de Distância variável para referências comuns
    • Representação de restrição de orientação
    • Translação
    • Local de referência móvel
    • Perfil assimétrico – unilateral e bilateral
    • Elemento contínuo
    • Requisito de independência
    • Outros
  • Recursos especiais e avançados em GD&T
    • Tolerâncias compostas
    • Tolerância Zero MMC e requisito de reciprocidade
    • Condição virtual e condição resultante
    • Requisito de máximo material nas referências
    • Requisito de mínimo material nas referências
    • Uso de notas complementares
    • Requisitos simultâneos e requisitos separados
    • Tolerância de perfil assimétrica – unilateral e bilateral
    • Contorno total de perfil
    • Tolerância de perfil controlando tamanho
    • Referências de equalização
    • Zona de tolerância variável
    • Tolerâncias bidirecionais polar
    • Tolerâncias tabuladas
    • Tolerância estatística
    • Representação de raio e raio controlado
    • Representações especiais para furos – escareado, rebaixo, profundidade
    • Representação para elementos cônicos e cunhas
    • Representação para arestas e quinas
    • A técnica “Gabarito de Papel” (“Paper Gage”)
  • Interpretação e representação de textura superficial
    • Motivos para especificação de rugosidade
    • Representação em desenhos mecânicos
    • Parâmetros e filtragem
    • Sistemas de medição
    • Normas
  • Representação para defeitos superficiais
  • Questões importantes para dar início à aplicação da linguagem GD&T
  • Exercícios avançados de interpretação GD&T em desenhos mecânicos

 

Carga horária: 24h

Objetivo:
Possibilitar aos participantes o entendimento sobre a linguagem GD&T, com foco na interpretação e representação de tolerâncias geométricas em desenhos mecânicos, visando:

  • Desenhos mecânicos com tolerâncias e especificações geométricas viáveis e adequadas;
  • Planejamento de processos coerente com as especificações de projeto;
  • Controle da qualidade com capacidade real para aprovar e reprovar peças bem como para apoiar as
    correções necessárias nos processos;
  • Redução de falhas nas fases de desenvolvimento de produtos e processos, com conseqüente economia para as empresas
  • Redução nas falhas típicas de interpretação, pela perfeita compreensão das mais ricas especificações GD&T, reduzindo custos e perdas de qualidade decorrentes.
  • Propiciar aos participantes a ampliação dos conhecimentos quanto aos recursos mais avançados de representação GD&T existentes nas normas ISO GPS e ASME;
  • Alcançar o foco principal do curso, representação e interpretação de recursos avançados em GD&T

 

Público-alvo:

  • Projetistas e desenhistas
  • Analistas e desenvolvedores de processos de fabricação
  • Projetistas de calibradores e dispositivos de fixação e controle
  • Operadores e programadores de máquinas ferramenta
  • Metrologistas e inspetores da qualidade
  • Operadores e programadores de máquinas de medir por coordenadas
  • Analistas e Engenheiros da Qualidade atuantes na medição por coordenadas
  • Responsáveis técnicos pelas medições com máquinas de medir por coordenadas e afins

 

Conteúdo programático:

  • Introdução
    • A importância da linguagem GD&T no desenvolvimento de produtos e processos
    • Custos relacionados com falhas ou desentendimentos na linguagem GD&T
    • Benefícios resultantes da utilização da linguagem GD&T
    • A representação de tolerâncias geométricas segundo as normas ISO GPS e ASME
    • Novos conceitos e perspectivas para a temática GD&T
  • Tolerâncias dimensionais e relação com as tolerâncias geométricas
    • Tipos de características dimensionais
    • Princípios fundamentais: Princípio da Independência e Princípio do Envelope
    • Associação com calibradores passa – não passa
    • Interpretação de tamanhos lineares pelas normas ISO GPS e ASME
  • Regras para representação dos elementos geométricos
    • Principais normas relacionadas à temática GD&T – normalização ISO GPS, ASME e NBR
    • Diferenças de representação entre as normas
    • Representação de elementos integrais e derivados
    • Unidades de medida
    • Tolerâncias restritas
    • Simbologias associadas aos tipos de controle
    • Interpretação da Zona de tolerância
  • Referências e sistemas de referência (datums)
    • Conceito fundamental – graus de liberdade e classes de invariância
    • Sequência de referências – primária, secundária e terciária
    • Representação de referências no desenho mecânico
    • Simuladores de referência e Referência simulada
    • Locais de referência (“datum targets”)
    • Representação de referências específicas das normas ISO GPS GPS
  • Modificadores da condição de material
    • Condição de Máximo Material (MMC) e Mínimo Material (LMC) e suas aplicações
    • Bônus de tolerância e Mobilidade
    • Conceito da Condição virtual – intercambiabilidade e montagem
    • Associação com calibradores funcionais
    • Condição de Independência do Elemento Dimensional (RFS)
  • Tolerâncias geométricas: forma, orientação, localização, perfil e batimento
    • Simbologias das normas ISO GPS e ASME
    • Dimensão teoricamente exata ou dimensão básica
    • Decodificação do quadro de tolerâncias
    • Tolerâncias de forma: retitude, planeza, circularidade, cilindricidade
    • Tolerâncias de orientação: paralelismo, perpendicularidade, inclinação
    • Tolerâncias de localização: posição (ISO GPS e ASME), concentricidade, coaxialidade, simetria (os três
    • últimos existem apenas na ISO GPS)
    • Tolerância de perfil: perfil de linha qualquer, perfil de superfície qualquer
    • Tolerância de batimento, circular radial, circular axial, total radial e total axial
    • Simbologias complementares específicas das normas ISO GPS GPS para representação de tolerâncias
    • Conceito de zona de tolerância
    • Inspeção de características geométricas
  • Tolerâncias de posição
    • Cotas lineares bidirecionais versus tolerância de posição com zona cilíndrica
    • Posição de uma cadeia de elementos
    • Posição entre elementos de uma cadeia com ou sem referência especificada
    • Tipos de parâmetros controlados pela tolerância de posição – diferenças ISO GPS e ASME
    • Tolerância de posição bidirecional
    • Tolerâncias de posição combinadas
  • Conceitos adicionais
    • Hierarquia dos tipos de controle
    • Zona de tolerância projetada
    • Condição de estado livre
    • Zona de tolerância comum
    • Tolerâncias Gerais
  • Interpretação e representação GD&T em modelos CAD 3D
    • Recursos de representação específicos da norma ISO GPS
  • Novos conceitos e símbolos nas normas ISO GPS GPS e ASME
    • Elemento comum
    • Elementos de roscas
    • Elemento de direção, plano de intersecção, plano de orientação e plano de coleção
    • Elemento médio
    • Símbolos “entre”
    • Classes de invariância e Elementos de situação
    • Conceito de Características intrínsecas padrão
    • Representação de Elemento de contato
    • Representação de Distância variável para referências comuns
    • Representação de restrição de orientação
    • Translação
    • Local de referência móvel
    • Perfil assimétrico – unilateral e bilateral
    • Elemento contínuo
    • Requisito de independência
    • Outros
  • Recursos especiais e avançados em GD&T
    • Tolerâncias compostas
    • Tolerância Zero MMC e requisito de reciprocidade
    • Condição virtual e condição resultante
    • Requisito de máximo material nas referências
    • Requisito de mínimo material nas referências
    • Uso de notas complementares
    • Requisitos simultâneos e requisitos separados
    • Tolerância de perfil assimétrica – unilateral e bilateral
    • Contorno total e global de perfil
    • Tolerância de perfil controlando tamanho
    • Referências de equalização
    • Zona de tolerância variável
    • Tolerâncias bidirecionais polar
    • Tolerâncias tabuladas
    • Tolerância estatística
    • Representação de raio e raio controlado
    • Representações especiais para furos – escareado, rebaixo, profundidade
    • Representação para elementos cônicos e cunhas
    • Representação para arestas e quinas
    • A técnica “Gabarito de Papel”
  • Interpretação e representação de textura superficial
    • Motivos para especificação de rugosidade
    • Representação em desenhos mecânicos
    • Parâmetros e filtragem
    • Sistemas de medição
    • Normas
  • Representação para defeitos superficiais
  • Questões importantes para dar início à aplicação da linguagem GD&T
  • Exercícios avançados de interpretação GD&T em desenhos mecânicos

 

Carga horária: 36h

Objetivo:
Levar aos projetistas os conhecimentos necessários para sistematizar o processo de especificação de características GD&T, visando:

  • Atender os requisitos funcionais dos produtos de forma a assegurar o equilíbrio dos custos de produção
    (equilíbrio custo x benefício);
  • Alcançar o foco principal do curso:
    • Especificação das referências
    • Especificação do tipo de controle
    • Especificação de modificadores
    • Especificação do valor tolerado – análise e síntese de tolerâncias

 

Nota: Os conteúdos abrangem as edições mais recentes das normas ISO GPS e ASME.

 

Público-alvo:

  • Engenheiros de produto;
  • Projetistas;
  • Engenheiros da qualidade e de processos com atuação na análise ou especificação de produtos.

 

Pré-requisitos:

  •  Não há pré-requisitos, porém, espera-se que o participante tenha conhecimento do conteúdo do curso GD&T 1 – Interpretação e Representação de Tolerâncias Geométricas – Fundamental

 

Conteúdo programático:

  • Introdução
    • Benefícios da correta utilização da linguagem GD&T
    • Projeto orientado por equipe multifuncional
    • Desafios típicos a superar na especificação GD&T
    • Incerteza da especificação
    • Modelo nominal versus modelo de casca
  • Exercícios de recapitulação do curso GD&T 1 – interpretação e representação
  • Sistemática de especificação GD&T em desenhos mecânicos
    • Requisitos funcionais dos produtos
    • Quando especificar GD&T e quando não especificar GD&T
    • A sistemática de especificação GD&T
  • Especificação das referências
    • Requisitos para seleção dos elementos de referência
    • Hierarquia para seleção dos elementos de referência
    • Especificação de referências pelo método direto versus indireto
    • Referência definida por elementos de referência comum
    • Especificação de referência em peças complexas
  • Especifcação de Tolerâncias Geométricas – Projetistas
    • Tolerâncias Geométricas – Módulo 3
    • Especificação dos tipos de controle
    • Seleção do tipo de controle
    • Quando especificar tolerâncias de forma?
    • Quando especificar tolerâncias de orientação?
    • Quando especificar tolerâncias de localização?
    • Quando especificar tolerâncias de batimento?
    • Quando especificar tolerâncias de perfil de linha ou superfície?
    • Quando especificar tolerâncias Batimento circular e/ou batimento total?
    • Quando especificar tolerâncias de concentricidade?
    • Quando especificar tolerâncias de posição?
    • Refinamento da especificação
  • A especificação de modificadores
    • Quando utilizar MMR junto à tolerância?
    • Quando utilizar o MMR junto às referências?
    • Quando utilizar LMR?
    • Quando utilizar LMR junto às referências?
    • Quando utilizar zona de tolerância projetada?
    • Quando utilizar plano tangente?
    • Quando utilizar condição de estado livre?
  • Estudo de caso
  • A especificação do valor tolerado
    • Tolerância e custo
    • Projetos 6 Sigma
    • Especificação de tolerâncias dimensionais
    • Estratégias de especificação
    • Montagem com elementos fixos e flutuantes
    • Análise de tolerâncias de cadeia dimensional
    • Síntese de tolerâncias
    • Análise de tolerâncias com GD&T
    • Aspectos relevantes no projeto de calibradores
    • Softwares de simulação de tolerâncias
  • Recomendações diversas de representação GD&T
  • Exercícios práticos diversos de especificação em desenhos mecânicos e simulação de tolerâncias

 

Carga horária: 24h

Objetivo:
Repassar aos participantes o conhecimento técnico especializado em GD&T para interpretação e especificação dos parâmetros de rugosidade, orientar a correta definição dos filtros e cuidados na execução das medições, bem como assegurar a correta implementação de ações de garantia da qualidade, como verificações intermediárias e calibrações das máquinas para medição de rugosidade e padrões aplicáveis, garantindo assim resultados confiáveis.

 

Conteúdo programático:

  • Importância da medição de rugosidade – Onde a rugosidade afeta o desempenho de componentes
    • Motivos para especificação de rugosidade.
  • Terminologia
  • Classificação dos desvios de conformação
    • Tipos de perfil.
  • Métodos de medição/avaliação de rugosidade e seus diferentes parâmetros
    • Diferentes métodos de avaliação;
    • Definição de parâmetros;
    • Grupo de parâmetros Rpk, Rk e Rvk – Curva de Abbot;
    • Curvas e parâmetros relacionados;
    • Limitações, vantagens e desvantagens de alguns parâmetros.
  • Componentes do processo de medição de rugosidade
    • Processo de filtragem;
    • Determinação do Cut-off;
    • Processos especiais de filtragem.
  • Métodos de Medição de Rugosidade
    • Mecânico;
    • Óptico;
    • Princípio de medição;
    • Sistema de apalpação.
  • Filtros
    • Filtros mecânicos;
    • Filtros eletro-eletrônicos;
    • Comparação entre filtros;
    • Razão de corte;
    • Filtros anti-aliasing
  • Medição de rugosidade em 3D
    • Parâmetros.
  • Máquinas para medição de rugosidade e padrões
    • Localização da máquina de medir rugosidade;
    • Grandezas de influência externa à medição;
    • Padrões de rugosidade;
    • Cuidados especiais com máquinas e padrões.
  • Padrões de rugosidade
    • Tipos de padrões para verificação e calibração de máquinas para medição de rugosidade;
    • Cuidados especiais;
    • Classificação;
    • Calibração de padrões de rugosidade, geometria e amplificação vertical.
  • Incerteza de Medição
    • Fontes de influência;
    • Quantificação das fontes.
  • Medição de rugosidade
    • Regras de avaliação de resultados;
    • Interpretação e especificação de rugosidade segundo as normas ISO e ASME
    • Representação em desenhos mecânicos;
    • Normas no âmbito de medição de rugosidade;
    • Mudanças nas normas;
    • Simbologia
    • Novidades na especificação de rugosidade.
    • Exercícios de interpretação das especificações.

 

Carga horária: 16h

Se você ficou com dúvida 

Fale Conosco